1,2 milhão de veículos foram financiados no 1T17

O volume de financiamentos de veículos encerrou o primeiro trimestre do ano com 1.208.969 unidades, entre autos leves, motos e pesados. O resultado mostra um aumento de 7,2% em relação ao mesmo período de 2016. Os dados consideram unidades novas e usadas.

O levantamento é da B3, empresa resultante da combinação de atividades da BM&FBOVESPA, uma das maiores bolsas do mundo em valor de mercado, e a Cetip, maior depositária de títulos privados da América Latina. A B3 opera o Sistema Nacional de Gravames (SNG), base integrada de informações que reúne o cadastro das restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de crédito em todo o Brasil. O SNG impede que o processo de financiamento de veículos seja suscetível a fraudes sistêmicas.

Enquanto os financiamentos de veículos novos registram queda de 7,2% no primeiro trimestre do ano, em relação ao mesmo período de 2016, os usados mantêm o movimento de avanço, acumulando alta de 16,5%, na mesma base de comparação, com 799.257 unidades negociadas no período.

"O avanço de 9,8% nas vendas financiadas dos autos leves foi impulsionado pela alta nos financiamentos das unidades usadas, que cresceram 16,2% no primeiro trimestre do ano", disse Marcus Lavorato, gerente de Relações Institucionais da B3.

Entre os automóveis leves, foram financiadas 245.826 unidades novas nos três primeiros meses do ano, queda de 5,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. Já as vendas a prazo de carros usados totalizaram 734.622 unidades, aumento de 16,2% na mesma base de comparação.

No primeiro trimestre, os autos leves com nove a 12 anos de uso avançaram 45,5%, na comparação com o mesmo período de 2016, com 122.043 carros negociados. Os carros com quatro a oito anos de uso também apresentaram alta de 17,8% e somaram 420.157 unidades vendidas a prazo. Já os autos leves novos e com até três anos de uso mostraram queda de 5,6% e 5,8%, respectivamente, no primeiro trimestre do ano.

Considerando as modalidades de financiamento, o CDC continua sendo a mais utilizada pelos consumidores, com 1.000.990 unidades negociadas no primeiro trimestre do ano, avanço de 10,8% na comparação com o mesmo período de 2016.

O prazo médio de financiamento de autos leves de quatro a oito anos de uso aumentou de 42,5 para 43,3 meses no primeiro trimestre, em relação ao mesmo período de 2016. Já o prazo para carros com mais de 12 anos recuou de 36,7 para 35,8 meses, na mesma base de comparação.

Fonte: InvestimentoseNoticias