6 dicas essenciais que você deve seguir na hora de comprar um carro usado

Raphael Galante economista especialista em carros disse o que você deve olhar na hora de fechar o negócio

SÃO PAULO - Em meio à crise que o país enfrenta, comprar um carro provavelmente não é a prioridade dos brasileiros. No entanto, se você está à procura de um veículo, comprar um seminovo pode ser uma boa opção. Mais baratos, os carros usados costumam ser uma boa saída para quem precisa ou quer trocar de carro sem gastar uma fortuna ou pelo menos sem pagar o preço de um modelo zero quilômetro.

Mas é preciso prestar atenção na hora de fechar o negócio.  A reportagem conversou com Raphael Galante, economista que trabalha no setor automotivo há 14 anos e é consultor na Oikonomia Consultoria Automotiva, além de blogueiro do InfoMoney.

Ele deu 6 conselhos do que é essencial observar na hora de comprar um seminovo, para fazer um bom negócio. Confira as dicas:

1. Avaliar a reputação do carro
Galante afirma que é muito importante conhecer a reputação do carro, isto é, qual a expectativa da vida útil do seminovo. “Se for um carro com “má fama” você saberá que terá problemas no futuro e na hora da revenda, por exemplo”, afirma. Avalie as marcas e modelos para não perder ainda mais dinheiro mais para frente. Além disso, vale olhar se o carro sairá de linha em breve, porque nesse caso, você sofrerá com desvalorização adicional, segundo o especialista.

2.  Faça o test-drive
Esse é o ponto crucial, segundo o especialista, porque mesmo parecendo algo tão óbvio e simples, muitas pessoas não testam o seminovo na hora da compra.  “É o momento onde você comprando de uma loja ou de um particular perceberá possíveis problemas ocultos”, comenta. Ele aconselha buscar lugares onde você possa – com tempo – fazer uma boa análise, ouvir possíveis barulhos e avaliar bem a dirigibilidade do veículo.

3. Veja o histórico do carro
“Às vezes encontramos aquele anuncio 'único dono', mas será que foi mesmo? ”, questiona Galante. É preciso saber informações sobre o passado do carro. “Se o carro foi comprado em leilão; se ele realizou todas as revisões recomendadas pela montadora; se sofreu sinistro; se está com restrições judiciais”, explica. Segundo o especialista, gastar um tempo com uma pesquisa profunda com o chassi do carro ajuda a evitar muitos problemas, e mesmo assim muitas pessoas não buscam informações antecedentes sobre o veículo. "Há sites especializados nesse tipo de serviço", aponta.

4. Avalie se é melhor comprar em loja multimarcas, em concessionária ou particular
“Todos têm suas vantagens e desvantagens”, afirma. No caso das concessionárias, existem várias marcas que dão uma atenção especial ao carro usado. “Por exemplo a GM e a Mitsubishi possuem programas para carros usados (SIGA e MITSIM, respectivamente) ”, diz Galante. Em ambos os casos citados, os carros vêm com certificado de procedência, em geral com um relatório com mais de 100 itens inspecionados; além de garantia adicional de 1 ano, entre outros pontos. “Você compra um carro usado certificado na concessionária com muito mais tranquilidade, mas o preço pode ser um pouco mais caro”, pondera.

Já em lojas de carros usados, “normalmente existe um certo laço de amizade. Ser perto da sua casa e/ou trabalho, além deles possuírem mais opções”, explica o especialista. Mas por outro lado, essas lojas, em geral, não são empresas tão sólidas como uma concessionária. “Ele pode “desaparecer” do dia para a noite”, alerta.

Já ao fechar um negócio com um vendedor particular você tem a chance de encontrar “o” carro e fazer “o” negócio, com preços melhores e condições de pagamento facilitadas, explica Galante. “No entanto, tem a questão da confiança no vendedor, além de ser quase como achar uma agulha no palheiro”, diz.

5. Peça ajuda para um mecânico
Entender sobre a “saúde” do carro, para consumidores normais é complicado. “O ideal é que você leve alguém junto, de preferência um mecânico, para te dar uma posição mais profissional sobre as condições do veículo”, explica Galante. Se você não conhece alguém, ele afirma que existem várias empresas especializadas nesse tipo de serviço.

6. Sempre analise as condições financeiras
Galante explica que financiamento de carros usados são mais caros do que o de carros novos e com prazos menores. “Logo você pagará mais juros do que se comprasse um carro novo e, talvez, o seu dispêndio mensal (por causa de um prazo menor) seja próximo a de um carro novo”, diz. Por isso, antes de ir atrás do carro usado, veja quais são as suas opções de crédito. Leve em consideração também o custo com o carro que você terá por mês, que incluem combustível, estacionamento, seguro, entre outros.

Fonte: Infomoney