Vendas de veículos seminovos tem alta de 12% nos últimos meses

O resultado das vendas de veículos seminovos este ano em Mato Grosso está positivo, com acréscimo de 12,1% sobre 2016. Nos últimos 8 meses foram negociados 173,076 mil veículos seminovos e usados em todo o Estado, ante 154,458 mil entre janeiro a agosto do ano passado.

A taxa de crescimento de vendas registrada em Mato Grosso é destaque no Centro-Oeste, onde o Distrito Federal apresenta o 2º maior incremento acumulado (8,1%), com 147,266 mil unidades vendidas. Mato Grosso do Sul ocupa o 3º lugar, com alta de 7,2% nas vendas e total de 134,872 mil veículos comercializados. Goiás lidera em volume de vendas, com 289,739 mil veículos vendidos entre janeiro a agosto deste ano, mas registra retração de 0,7% nos negócios se comparado com igual período de 2016. Os números foram informados pela Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), por meio de relatório mensal de vendas.

No mês passado, os revendedores que atuam no segmento veicular comercializaram 24,163 mil veículos seminovos e usados em Mato Grosso, sendo 4,5% a mais que em julho onde foram vendidos 23,130 mil e 4,2% a menos que em agosto do ano passado, quando foram 25,230 mil unidades em território estadual.

Em Mato Grosso foram comercializados 1,024 mil veículos seminovos por dia neste ano, ante a média diária de 914 em 2016. Na avaliação do presidente da Associação dos Revendedores de Veículos Automotores de Mato Grosso (Agenciauto), Ricardo Laub Júnior, o mercado está instável. “Apesar dos resultados positivos, não sentimos uma melhora de fato porque há uma grande instabilidade”, avalia.

Segundo ele, a deflagração da greve dos servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) é mais um elemento que contribui para as incertezas no mercado. “Vai derrubar as vendas em setembro”, antecipa.

O presidente afirma ainda que os revendedores de veículos seminovos e usados não estão otimistas em relação aos próximos meses, quando historicamente a demanda do consumidor aumenta.

Fonte: SoNoticias