Lojistas de carros usados fazem novo protesto contra aumento de ICMS

Carreata reúne cerca de 500 veículos. Alíquota do imposto subiu de 1,8% para 5,5% em SP

Lojistas do setor de carros usados de Sorocaba realizam, na manhã desta quinta-feira (21), o segundo protesto contra o aumento da alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O Governo do Estado de São Paulo determinou, desde sexta-feira (15), que os setor pague alíquota de 5,5% sobre o valor de venda dos veículos usados. O porcentual anterior era de 1,8%. Em abril, a alíquota deverá ser reajustada para 3,9%. Segundo o Estado, trata-se de medida para restabelecer o equilíbrio fiscal.

A concentração dos veículos começou durante a manhã, no local onde ocorre o tradicional Feirão do Carro, na avenida Dom Aguirre. A carreata com buzinaço saiu às 9h pela rua Padre Madureira e vai passar pela avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, Rodovia Senador José Ermírio de Moraes (Castelinho), avenidas Dom Aguirre, Afonso Vergueiro, Praça Nove de Julho, Barão de Tatuí até ser finalizada na pista de caminhada do Parque Campolim.

Durante a passagem pela Castelinho, os veículos ocuparam as duas faixas da rodovia. A via não foi interditada. Agentes de trânsito da Urbes e a Polícia Militar acompanham o trajeto.

O ato reúne cerca de 500 veículos e é maior que o primeiro, realizado em 9 de janeiro, que contou com 200 carros. A manifestação deverá ocorrer em todo o Estado, sendo confirmada nas cidades de Campinas, Santos, Presidente Prudente e Ribeirão Preto, entre outras.

Segundo o governo de São Paulo, a medida é necessária para reequilibrar o orçamento devido às perdas de arrecadação com a pandemia do novo coronavírus. “O objetivo do ajuste fiscal é proporcionar ao Estado recursos para fazer frente às perdas causadas pela pandemia”, diz nota divulgada pelo governo estadual.

Danilo Silvério, da Silvério Multimarcas, conta que, após o protesto, houve uma reunião para tratar do tema com a equipe econômica do Estado, mas não houve mudança com relação à decisão sobre o aumento. Silvério também lembrou que a situação poderá ocasionar o fechamento de lojas e a perda de empregos formais. “Tem muito fornecedor em volta do carro. A cadeia é muito grande”, lembra. “Poderá aumentar a informalidade, inviabilizar a atividade”, acrescenta.
Com vigência desde 15 de janeiro, o ICMS no estado de São Paulo aumentou de 1,8% para 5,53%. O impacto do aumento do ICMS deve aumentar os preços de carros novos e usados. Anteriormente, o ICMS de um carro vendido por R$50 mil era de R$900 (1,8%) para a loja. Com o aumento do percentual do valor na nota fiscal, no mesmo carro de R$50 mil o lojista terá de recolher R$2.763. E, como esperado, esse valor, ou boa parte dele, terá de ser repassado para o cliente.

orocaba tem pelo menos 500 lojas de veículos usados, além de 20 concessionárias, que também atuam no ramo de usados, informa representantes do setor. A manifestação tem apoio da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto). (Da Redação)

Fonte