Crise impulsiona mercado de usados

Pesquisa CNDL/SPC aponta que consumidor está procurando mais produtos antigos. Carros e livros são os mais procurados
O mercado de produtos usados surge como uma alternativa para o brasileiro que pretende economizar nas compras, e também para quem almeja deixar de lado um objeto pessoal e obter lucro. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que o consumidor brasileiro está procurando cada vez mais por esses produtos. Entre os principais itens procurados nos últimos 12 meses, estão os livros, com 54%, e os automóveis e motos, com 43% de procura. 

Outros produtos de segunda mão que também foram alvo do consumidor brasileiro, foram os eletrônicos (38%), móveis (38%), smartphones (36%) e eletrodomésticos (36%). Na pesquisa da CNDL os entrevistados acreditam que não é preciso comprar um produto novo para estar satisfeito com o seu uso. Prova disso está que 76% dos brasileiros que compram livros preferem adquirir um exemplar usado ao invés de adquirir um produto novo. 

Para a estudante Yasmin Cecília, de 18 anos, adquirir um livro usado, vale mais a pena pelo fato de ter preço mais atrativo. “Eu compro mais pelo preço, que é mais acessível, porque em lojas maiores o custo é maior. Os livros usados ainda podem ser reutilizados e contam com uma variedade maior, a qualidade do livro usado as vezes é maior do que a de um livro novo, as pessoas conservam”, disse.
A pesquisa apresentou que a oportunidade de diminuir gastos e poupar é um dos objetivos da maioria das pessoas que optam pelos produtos usados. Dentre os que compraram ou venderam produtos usados nos últimos 12 meses, 65% calcularam a economia proporcionada. 

Para o aposentado José Carlos Targino, pesquisar antes de qualquer compra de produto usado é importante. “Sempre buscamos produtos diferentes. A compra do livro usado surge por conta do preço que é melhor, mas sempre é bom uma pesquisa e procurar pela qualidade do produto, para que a economia seja realmente boa”, afirmou. 

Na avaliação do educador financeiro do portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli, o mercado de usados está recebendo mais espaço devido aos marketplaces, as comunidades ou plataformas online de compra e venda. “O comércio de usados é amplamente favorecido pelas novas tecnologias e pela internet, que aproximam pessoas desconhecidas com um interesse comum. Em um período em que muitos enfrentam dificuldades financeiras, essa pode ser uma saída para quem deseja fazer compras a preços acessíveis ou vender objetos que apenas ocupam espaço em casa”, destacou o educador.

Como uma prova que as plataformas online vêm se destacando, a OLX lançou no mês de agosto uma plataforma especialista em compra e venda de autos do mercado, a Autoshift. A OLX é responsável por mais de 25% do total de carros seminovos e usados do país e alcança mais de 20 milhões de usuários por mês.

Fonte: FolhaPE