Vendas de veículos seminovos e usados dão sinais de recuperação

A comercialização de veículos seminovos e usados vem apresentando sinais de recuperação, após o setor registrar quedas significativas nas vendas logo nos primeiros meses da pandemia da Covid-19.

Em novembro, segundo os dados divulgados pela Federação Nacional das Associações de Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), em Minas Gerais, a venda dos automóveis apresentou variação positiva de 0,6% frente a outubro. Também foi registrada elevação, de 9,8%, na comparação com novembro de 2019.

Apesar dos resultados positivos, houve queda de 11,7% no acumulado no ano em relação a igual intervalo de 2019.

Em Minas Gerais, ao longo de novembro, foram vendidas 170.519 unidades, ante 169.428 verificadas em outubro, o que representa um avanço de 0,6%. A média de venda por dia útil ficou em 8.526 unidades, 5,7% maior que a registrada no mês anterior.

As vendas de veículos usados também ficaram maiores quando comparadas com novembro de 2019. O setor trabalha com um incremento de 9,8% no percentual de vendas, já que em novembro do ano anterior foram comercializadas 155.314 unidades.

No acumulado dos primeiros 11 meses de 2020, a queda registrada é de 11,7%, com a venda de 1,47 milhão de veículos. Apesar de ainda menores, frente a 2019, o setor mostrou sinal de recuperação já que, nas primeiras semanas do isolamento social e fechamento das atividades econômicas, as vendas chegaram a cair 80%.

Dentre as categorias, em novembro, a venda de seminovos, carros com até três anos de uso, subiram 3,5% frente a outubro, com 21.537 unidades vendidas. Nos primeiros 11 meses do ano, houve uma retração de 14,4% nas negociações, quando comparado com o mesmo período anterior. Ao todo, foram comercializadas 203.173 unidades. Em relação a novembro de 2019, foi verificado aumento de 2,2%.

Os carros com idade entre nove e 12 anos apresentaram redução de 0,8% nas vendas em novembro frente a outubro. Na comparação com novembro de 2019, foi observada alta de 17,8%, somando 42.485 veículos. As vendas acumulam queda de 4,6% no fechamento dos 11 primeiros meses de 2020, com 356.806 unidades.

Na categoria de carros acima de 13 anos, foram vendidos 59.100 automóveis, representando uma alta de 0,6% quando comparada com outubro e de 18,7% frente a novembro de 2019. A comercialização somou 483.163 unidades no período de janeiro a novembro, recuo de 3,6%.

A comercialização de automóveis de quatro a oito anos cresceu 0,7% frente a outubro. Na comparação com novembro de 2019, foi registrada diminuição de 2,1% com a venda de 47.397 unidades. O resultado elevou para 22,7% a retração registrada no acumulado do ano até o 11º mês de 2020. Ao todo, já foram negociados 431.617 veículos usados jovens.

Segmentos – Nos segmentos de veículos, as vendas de automóveis aumentaram 3,2% em novembro frente ao mês anterior, com 100.090 unidades. O volume ficou 9% maior que o registrado no 11º mês de 2019. No acumulado do ano, foram negociadas 840.760 unidades, 14,1% a menos.

Em novembro, os modelos de automóveis mais vendidos foram o Gol, com 12.798 unidades comercializadas e representando 12,79% do total. Em seguida, veio o Uno, com 9.095 veículos e participação de 9,09%. O modelo Palio ficou em terceiro lugar, respondendo por 8,87% das vendas e somando 8.876 unidades. O KA somou 3.191 veículos vendidos, 3,19% do total.

Na categoria de comerciais pesados, as vendas recuaram 7% em relação a outubro, mas aumentaram 17,2% na comparação com novembro anterior, somando 4.746 unidades. No ano, as vendas ainda estão 4,5% menores e já somaram 43.717 unidades.

Queda também foi verificada nos comerciais leves, de 1,8%, com a negociação de 19.265 unidades frente a outubro. Em relação a novembro de 2019, a alta ficou em 11,6%. No ano, o segmento acumula queda de 10,2%.

As vendas de motos recuaram 2,5% na comparação com o mês imediatamente anterior e subiram 10,7% frente a novembro de 2019, totalizando 44.300 unidades comercializadas. No acumulado do ano até novembro, foram negociadas 399.796 motos, uma retração de 7,6%.

Fonte